19 abril 2006





Biblioteca Ferréz.

Bem, eu tenho que falar um pouquinho da biblioteca que temos no Centro de Apoio. Na realidade essa biblioteca é assim, um sonho já desde o ano passado, quando assumi a direção dessa unidade e conversávamos muito , eu e os monitores, sobre a importância de se ter uma biblioteca. Eu, então, nem se fala, tendo uma mãe com mestrado em psicologia da educação, imagine!
Vejo livros por todo lado. Sem contar que desde a infância sou cercada por pessoas envolvidas com a educação. Meus pais são aposentados pela educação do estado. Tudo bem que a função do meu pai, dentro da educação era vigia, mas sabe aquele negócio de morar numa escola? Cresci no pátio de uma.Vi meu pai plantar, acompanhar alunos no refeitório, servir o lanche da noite, rondar toda a fazenda( era num Colégio Técnico Agrícola),para vigiar, mesmo, acordar logo pela manhãzinha com o sino tocando para os alunos tomarem o café da manhã( era um internato),ouví-los descendo para guardar os materiais no horário do almoço, discutindo a aula de biologia ou a de química, enfim, meus ouvidos foram acostumados com esse cantarolar estudantil.
Quando assumi esse local, a convite da secretária, nossa, dei uma olhada ao meu redor e já fui logo visualizando tudo, dá pra acreditar que cada canto que eu olhava, já conseguia ver as mudanças?
E algo que me incomodava ainda é que encerrei o ano sem montar a biblioteca. Mas 2006, aconteceu! Numa noite, lá na minha casa, debaixo do chuveiro, comecei pensar de como faria pra ter uma biblioteca,bem, livros lá na minha casa-ateliê, dava pra chegar em quase 400 ítens, então já estava pronto o início de uma.Lógico, pensei: é isso!
No outro dia logo pela manhã, já com a idéia completamente formada, era só botar em prática. Agora, nada melhor que fazer dessa biblioteca um ponto de partida para que as crianças e adolescentes praticassem o gosto real pela leitura,sentir mesmo, bem de pertinho, o interesse por livros, revistas, jornais.
E então lendo os livros do Ferréz, veio a idéia brilhante de homenageá-lo.
A "nossa" biblioteca tem o nome Ferréz. Ele mesmo, veio, pessoalmante conhecer nosso espaço, que por sinal, é um espetáculo!
A gente brinca que essa biblioteca é a mais maloqueira, mas tudo nela, tem vida,ela foi uma conquista e então, passa a ser um espaço respeitado por todos.
Em fevereiro ela foi inaugurada, foi um fim de tarde emocionante. Recebemos o Ferréz, que falou com a galera, todo feliz, orgulhoso; recebemos também, nesse dia, a Tati, grafiteira, foi uma festa realmente.
E está aí a biblioteca, maloqueira,cheia de arte,grafitti em todas as paredes,respirando cultura, totalmente eficaz, a cara da galera de periferia, a cara do Ferréz, nosso grande amigo, o tudo de bom. Imagine, mês passado ela até ganhou 03 computadores, ligados à internet. Agora, todos podem ter acesso livre, pesquisar, enfim, esse é um espaço literário que nos satisfaz por completo.
Não dá pra deixar de falar com orgulho,desse cantinho mágico. Concordam comigo?
(por Rosi Ribeiro).

Nenhum comentário: