06 abril 2006

SEMINÁRIO CULTURA VIVA NA TEIA


" o homem, como um ser histórico, inserido num permanente movimento de procura, faz e refaz constantemente o seu saber"
Paulo Freire


O ministério da cultura está em São Paulo do dia 06 ao dia 09 desse mês, com a rede Cultura Viva na Teia.
Hoje, participei da abertura do seminário no Sesc da Vila Mariana, onde Gilberto Gil( ministro da Cultura) abriu a conferência sob o tema " A argamassa que une a sociedade".
Falou, descontraidamente sobre as ações do ministério e enfatizou a cultura como instrumento da inclusão social.
"A arte não pode se limitar em entretenimento e lazer, é hora de ser o centro do palco, com elencos de possibilidades".
Deixou bem claro que a cultura nem chega ser apenas considerada como instrumento , e sim, " o corpo, o grande rio......, a prática de vida, os saberes além do saber".
Ouvi alguns comentários sobre o fato de ter feito uso da leitura para discorrer todo seu discurso, pasmem!!!! teve até gente que dormiu!............(rssrsrsrrs, bem preocupado com a inclusão), porém, ele , todo elegante, como de costume, fez comentários,(bem pausados) , respondeu várias perguntas, até solicitou que uma pessoa do Ceará(ponto de cultura) falasse em público sobre suas preocupações, ouviu atentamente, respondeu , brincou com a platéia, procurou e achou o tom correto de uma garrafa de água..........( a platéia toda riu). Foi, enfim, uma manhã cheia de informações, interesses mútuos, riqueza total de espírito solidário.
Houve uma pergunta sobre a municipalização dos pontos de cultura. Ah! essa resposta foi a minha preferida:" os pontos de cultura tem que estar cientes de sua autonomia........e que se virem. Se acharem que o prefeito deve se meter nisso, que deixem municipalizar, oras. Não sou eu como ministro que vou me envolver nesse assunto". ( soltou com toda categoria).
Vou confessar: Senti falta de Osasco nesse evento. Não tinha representantes da Secretaria da Cultura e nem da Secretaria do trabalho. Uma pena!
Junto comigo, estavam Carolina Ramos e Gabriel Bueno( arte educadores) e nós, somos da Secretaria de Assistência e Promoção Social e também um amigo, João , que é antropólogo e prestador de serviços da Sabesp.
Pontos Culturais também não se manifestaram, não sei se havia algum. As pessoas vieram de todo lugar do país.
No período da tarde, participamos de mesas de debate. Nossa equipe ficou na mesa B, com o tema:Contribuições Étnicas: Identidade e Diversidade Cultural.
Palestrantes: Sérgio Mamberti- Secretário de identidade e da diversidade cultural do ministério da cultura
Maria Lucia Montes- professora de antropologia
Aritana do Xingu- Ponto de cultura do Xingu
Beth de Oxum- Centro Cultural Coco de Umbigada
Maria Aparecida da Silva Bento- Coordenadora executiva do Centro de estudos das relações do trabalho e da desigualdade/ CEERT ( e foi a mediadora).
Houve mais duas mesas, com os seguintes temas: Economia solidária como uma nova cultura econômica
onde um dos palestrantes foi Paul Singer- secretário Nacional de economia solidária do Ministério do Trabalho e Emprego.
e Tradição e Modernidade: Natureza, Inovação e Cultura de resistência, sendo Candace Slater( consultora do Ministério da cultura no Brasil nos Estados Unidos) uma das palestrantes dessa mesa.
Infelizmente pudemos participar apenas de uma das messas, pois aconteciam simultaneamente( das 14:30 às 17:00).





Um comentário:

Sueli Marroni disse...

Parabéns, amiga!
Você é muito batalhadora e merece isso tudo!
Sucesso... beijos...