01 maio 2015



Hoje eu venho falar de Amor…. de amor de um modo geral, que acredito curar.

Sempre ousei dizer que a cura vem através do amor e ponto. Não arredo pé e continuo com o mesmo discurso .  Por todos os caminhos que já percorri, me deparei , em cada canto ou em cada esquina, algo parecido com essa fala de cura através do amor.

O amor se manifesta  em formatos diferentes, mas sempre de modo a transformar. Ele vem como a poesia que toca lá no fundo da alma, quando lida. Ele vem através do toque , das mãos de uma mãe, quando seu filho está febril e ela já sabe o que fazer . A  visita de um amigo , quer seja em casa, no trabalho ou até mesmo num quarto de hospital. Um telefonema,pode  arrancar um lindo sorriso. Simples assim, ele vem para transformar.

Uns amam muito, até além da conta. Outros amam apenas o necessário, mas tem também quem não ama nada e  sofrem:  isso posso garantir.  Se não for por hora, certo dia, aparece e então, vão entender o quanto perderam por não amar.

O amor, esse amor que falo, deve surgir, assim, de graça, brotando do coração, jorrando por todos os poros e que bom que seja em quantia elevada para ter vazamentos  por todos os cantos de uma existência toda, até o ponto final.

Passei o dia de ontem acamada e fiquei pensando nos valores aprendidos . Passei os olhos por um  livro de poesia da menina Clarice Freire  e degustei de todo amor que transborda pelas páginas rabiscadas e uma das páginas fechou meu dia agitado :  Seja como for, o Amor é  transformador.

Ouvindo a música do Nando Reis, nos deparamos com a grandeza do amor , que mesmo chegando de forma atrasada, faz a transformação através do perdão , valendo a pena retomadas, mesmo diante do quase impossível.

Atitudes  podem nos fazer trilhar por caminhos diversos ou às avessas, no entanto, devemos trazer pra junto, os amores verdadeiros. Correr atrás  sem  importar se estamos ou não atrasados. Por todas as nossas andanças deixamos marcas: ações, falas, rabiscos, roupas penduradas em algum canto, sorrisos presos em alguma curva ou esquinas da vida. Até um olhar diferente pode ter  se fixado em alguma cena jamais esquecida. Momentos vividos jamais serão apagados e se tiver que resgatar algum item qualquer, mesmo que estejamos longe, não importa. Se necessário for, o conselho é que deem meia volta e retome a estrada seguinte, ou o  lado oposto logo ali na bifurcação. Valerá a pena, porque o Amor deve chegar, mesmo que seja tarde demais.

Ele deve ser aproveitado até a última gota, até o último instante . E que ele venha de forma sublime, serena,  de modo a não criarmos raízes e sim, asas, para voarmos sem rumo, durante uma  vida inteira, mas com destino certo de sempre tê-lo por perto e nunca desistirmos dessa ideia.

Estejam certos: nunca estarão doentes, se o amor estiver por perto. Não importa como . Assim como não conseguir segurar a água entre os dedos, o amor não ficará preso, mas estará presente se o agarrarmos através do coração. Uma luz magnífica acenderá bem no centro da alma. Tudo pulsará vida e viveremos por um longo tempo na clareza do dia e da noite, porque todo instante será de brilho.    





Um comentário:

Debora disse...

Pena que as pessoas, hoje em dia, valorizem demais as coisas materiais e descuidem desse sentimento tão nobre.
Parece que tudo é tão descartável! Ninguém está disposto a fazer sacrifícios pelo outro, enfrentar dificuldades... amar quando está tudo perfeito é fácil, não é? Difícil é conhecer todos os defeitos de alguém e amá-los mesmo assim.
Lindíssimo texto!