16 junho 2011

A Importância da Leitura


Eu sou uma apaixonada por leitura. Amo livros e sou ratazana de banca de jornais e revistas.
Coleciono a revista Casa e Jardim e casa Claudia...adoro ler Trip..Caros Amigos..Serafina , sou assinante do Diario de São Paulo e tenho umaBiblioteca que é pequena, mas que tem um acervo espetacular voltado a Literatura e Arte. Hoje esse acêrvo se concentra no  meu Ateliê e tem o nome do escritor Ferréz.

Sou Contadora de História  e sei desde minha infância a importância da leitura pra vida do ser humano. Aprendi com minha mãe, que inicou na Educação na  área de Serviços Gerais, através de concurso público, alcançando o primeiro lugar ,com nenhum erro na prova. Foi parabenizada, estudou depois de casada. Casou-se muito cedo.Foi mãe aos  quase 17 anos e nunca perdeu a esperança no ser humano, no aprendizado e foi crescendo profissionalmente,não deixando de estudar até conseguir pós graduação em psicologia da educação.
Acredito piamente na capacidade de aprendizado  do ser humano. E sou divulgadora dessa idéia.

Hoje, estou como Conselheira Tutelar na cidade de Osasco e a cada atendimento deixo claro , quando necessário, a importância dos estudos, a importância da leitura (digo quando necessário, pelo fato de que muitos adolescentes ainda estão fora das escolas, não querem saber de leitura, não querem saber de estudar) mas existem , graças a Deus , os que dão suma importância .

Quando vou às escolas,conto  a históraia do ECA ( Estatuto da Criança e do adolescente).
Atualmente,minha leitura se concentra nos estudos voltados à militância Criança e Adolescência e  me traz um rico aprendizado.
[estou terminando de ler A Nova Lei da Adoção, de Sávio Bittencourt] *muito bom!

Essa semana me deparei com a matéria que repasso abaixo e sei que vale a pena todos lerem...todos saberem..
Apreciem. Tenham todos  uma feliz eabençoada quinta feira.

O Livreiro do Alemão [ Paixão pela leitura]


Era uma vez um menino da favela do Morro do Alemão, no Rio de Janeiro, de 8 anos, que achou um livro no lixo. Ele levou esse tesouro, um conto espanhol chamado "Dom Gatóm", para casa. Leu na noite do dia seguinte, à luz de velas, porque tinha acabado a eletricidade no barraco. A partir de então, o mundo paralelo do morro ficou pequeno para ele.
"Sei, por experiência própria, que as crianças daqui têm uma visão muito estreita do mundo. Quase não saem da favela. Tudo é perto. A escola, a igreja, o campo de futebol, o mercadinho, as ONGs. Muitas nem conhecem a praia. Ficam presas aqui dentro. Foi a leitura que me libertou dessa prisão", escreveu Otávio Júnior, hoje com 27 anos, em seu primeiro livro, o ótimo "O Livreiro do Alemão" (Panda Books, 2011).
Voraz, ele passou a pedir obras emprestadas aos vizinhos. Leu tudo o que lhe caiu nas mãos, de Monteiro Lobato a um "Manual do Proprietário" do Passat, 1980. Livre, quis libertar outros. É contador de histórias, ator e produtor teatral. Mas se apresentou à reportagem do DIÁRIO como "promotor de leitura". Desde 1998, atua junto a crianças. Além de incentivar a leitura, também escreve contos, roteiro de histórias em quadrinhos e faz poesias infanto-juvenis.
Em "O Livreiro do Alemão", Otávio conta com lirismo raro a experiência de se descobrir por meio da leitura e se abrir para o universo imenso que os livros trazem à alma. Conta ainda sua experiência como incentivador de leitura em comunidades carentes. Apesar de ser seu trabalho de estreia, o livro deixa denotar o escritor burilado em milhares de textos escritos para si mesmo e o leitor ávido das obras de tantos outros.

Projetos /Otávio coordena o projeto cultural Ler é 10, nos Complexos da Penha e do Alemão. "Nosso sonho é levar livros para todas as comunidades dos complexos. Usamos a criatividade para fomentar a leitura com grupos escolares e nas casas de moradores com a biblioteca itinerante", explica.




RETRATOS DA LEITURA NO BRASIL

Veja abaixo alguns dados da pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”:

Hábito de Ler
– A escolaridade é o principal determinante para o maior ou menor distanciamento da leitura de livros;
– A leitura de livros é apreciada, de fato, por apenas um terço da população adulta alfabetizada;
– As chamadas classes B e C concentram 70% dos apreciadores de livro;
– Entre as 17 milhões de pessoas que não gostam de ler livros, 11,5 milhões possuem até oito anos de instrução.

Acesso a livros e bibliotecas

– Metade dos livros lidos atualmente não são comprados;
– De cada 10 não-leitores, 7 têm baixo poder aquisitivo;
– 73% dos livros estão concentrados nas mãos de apenas 16% da população;
– Estudos do Ministério da Cultura indicam que cerca de 1.300 municípios brasileiros das regiões mais pobres não possuem uma biblioteca pública;
– Mais da metade dos compradores de livros (58%) concentram-se em seis estados das regiões sul e sudeste.

(Com informações da Agência Brasil)

Nota:

Biblioteca Ferrez
Rua Sanazar Mardiros, 408 Casa 05
Presidente Altino/Osasco
Telefone 36826374
(terão acesso a livros de grafitti/ arte de rua/obras do escritor Ferréz)
Atendimento de Segunda à Sábado
Com João Francisco e Jandira  Souza.

Nenhum comentário: